Moda sustentável é contra trabalho escravo

Vez ou outra, as pessoas ouvem falar sobre trabalho escravo na indústria fashion, mas são poucas as que procuram realmente entender como isso funciona.

Uma das coisas que você precisa saber sobre a moda sustentável é que, ela não só se compromete com o meio ambiente, a partir da utilização de matéria-prima do bem, como também busca mostrar todas as pessoas envolvidas na produção das peças, o que não é feito pela maioria das marcas, que podem estar escondendo abuso de mão-de-obra.

Imagem: Rotina da Moda

Não é nenhum segredo que a Nike já foi acusada de explorar trabalho infantil, na década de 90. E não só ela, como a maioria de outras grandes empresas visam o lucro e somente isso. O objetivo é produzir muito, para que se venda muito, mas se gaste pouco com mão-de-obra e matéria-prima.

Um dos filmes que mostra com nitidez essa realidade é o "True Cost", dirigido por Andrew Morgan, que mostra cada detalhe sobre a exploração do trabalho pela indústria fashion. Se você se interessa pelo assunto, vale muito a pena assistir, pois ele mostra uma realidade com a qual não estamos familiarizados.

Imagem: Stylo Urbano

Em 2013 um prédio nos Estados Unidos desabou, deixando mais de mil mortos. Esse prédio era sede das fábricas, nas quais eram confeccionados produtos para a rede Walmart. A revista Galileu em pesquisa, apurou que esses funcionários eram submetidos à jornadas de trabalho que duravam 10 horas, e ganhavam pouco mais de 350 reais a cada mês.

Mas se a exploração do trabalho é tão divulgada pela mídia, por que ele ainda existe? A resposta é muito simples. A maioria das pessoas, talvez até você, se sente tocada com a situação dos trabalhadores explorados, mas toda essa pena vai embora em questão de segundos, quando você passa na frente de uma loja de roupas em promoção no shopping, certo?

O único modo de acabar com a exploração do trabalho não só no mundo da moda, como em todos os outros segmentos do mercado é a partir da conscientização. A denúncia só funciona a partir do momento no qual entendemos que não vale a pena dar o braço a torcer por um cartaz que diz "50% OFF".

 

Jornalista, do Vale do Paraíba para a Grande São Paulo. Apaixonada por moda. Acredito que moda, e a expressividade, andam juntas e podem dar voz àqueles que não têm.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.