Feminism and sustainability

Feminism and sustainability
retrospectiva - moda em 2017

A moda é um universo que passa por modificações desde que existe, e hoje em dia, graças à mídia é possível acompanhar de perto esse processo de desenvolvimento. Nos último anos, pudemos acompanhar, por exemplo, o início do rompimento dos padrões de beleza, estabelecidos há anos por uma sociedade que valorizava a magreza excessiva, o cabelo liso e a pele branca. Hoje, vamos fazer uma breve retrospectiva sobre tudo o que sofreu modificações no mundo fashion, falando sobre mudanças positivas como o feminismo e a sustentabilidade. Empoderamento feminino (feminismo) Esse ano foram feitas denúncias contra abuso-sexual vindos por parte de profissionais renomados, como produtores e fotógrafos. Muitas modelos, inclusive as estrelas como Cameron Russell, se uniram e denunciaram o assédio, que ocasionou penalidades aos profissionais abusadores, já que os casos ficaram em foco na mídia por dias.

Imagem: Metropolitana FM

Além disso, pudemos observar a queda da diferenciação de peças quanto ao gênero, como no desfile do estilista Ronaldo Fraga, na 44º edição do São Paulo Fahion Week. Presença da Sustentabilidade  Em 2017, mais do que nunca pudemos notar a presença de elementos sustentáveis invadindo as passarelas. A marca Cotton Project, por exemplo, fundada pelo jovem empreendedor Rafael Varandas, desfilou no São Paulo Fashion Week 2017, peças que contavam com fibras especiais, resistentes, feitas para durar, trazendo de volta o conceito de que vale a pena comprar uma roupa de qualidade que irá durar, do que dez peças com qualidade inferior.    

Imagem: Elle

Na mesma edição do SPFW vimos a sacola plástica aparecer na passarela, em capuzes, como no desfile da Jahnkoy. Também estamos vendo com mais frequência as marcas dispensando as embalagens personalizadas, para dar chance às sacolinhas que jogamos fora todos os dias, como fez a Reformation. Quebra de padrões  Finalmente foi possível enxergar uma luta efetiva contra o fim da magreza excessiva. Esse ano, modelos magérrimas declararam que já foram tiradas de desfiles de grandes marcas, por estarem "acima do peso". Além disso, uma campanha que surgiu na França estabeleceu que as marcas não pudessem exigir que modelos menores de idade emagrecessem para os desfiles.

Imagem: Daily Mirror

Além disso, a ascensão da moda plus-size também foi visível. Ainda é algo em crescimento, mas já podemos observar a quebra desse padrão, principalmente depois que a cantora Anitta trouxe suas dançarinas à tona.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.